21 setembro 2017

[RESENHA] RQ #3 A Prisão do Rei - Victoria Aveyard


FICHA TÉCNICA
Nome: King's Cage (A Prisão do Rei)
Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
País: EUA
Lançamento: Abril de 2017
Gênero: Drama, Guerra, Distopia
Páginas: 557
Adicione: Skoob

Compre: Amazon | Saraiva | Livraria Cultura

SINOPSE"Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira.Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta." (Skoob)


RESENHAS ANTERIORES:


 A Prisão do Rei inicia-se logo após os momentos finais de Espada de Vidro (livro 2), onde Mare se entrega a Maven para salvar a vida de seus companheiros, e então se torna cativeira dele. Neste terceiro volume, nós agora somos introduzidos aos pontos de vista de outros personagens: Cal, Cameron e, com um pouco de surpresa, Evangeline. Eu sempre ressalto nas resenhas dessa série o quanto a autora vai se reinventando e trazendo mais originalidade a história, e este terceiro conseguiu ainda ser melhor que os anteriores.

 Mare agora é prisioneira de Maven, usando pedras silenciosas que tiram seu poder e, pouco a pouco, sua vontade de viver. Enquanto isso, Cal está com a Guarda Escarlate, e tem um único objetivo: salvar Mare.
 Depois de 2 livros, finalmente temos um pouco de romance nessa história, porque então, sabemos que Cal e Mare nutrem sentimentos um pelo outro, mas não sabemos absolutamente nada sobre esse relacionamento conturbado e cheio de falhas. Mas nesse livro começamos a entender um pouco melhor isso.
 Fico muito triste com os comentários negativos a respeito de Cal. De como ele é idiota, ou egoísta, ou isso ou aquilo. Acho que as pessoas não entenderam de fato o que esse personagem é. Cal cresceu achando uma coisa e, de repente, seu mundo desabada. É traído pelo próprio irmão, forçado a matar o próprio pai, sendo caçado pelo próprio povo, e tendo que se unir a pessoas que ele aprendeu a vida toda a simplesmente ignorar. É um fardo pesado, o dele. E tudo isso acontece muito rápido. Nem mesmo o príncipe prateado preveu uma coisa dessas. Mare, é o seu oásis, sua tábua de salvação, seu elixir, e estar longe dela deixou as coisas muito difíceis. Não tem como não se compadecer do coitado.
 Agora, Maven... Ele é o meu Sebastian (Os Instrumentos Mortais - Cassandra Clare). Um homem que não nasceu ruim, mas foi criado para ser. Ao longo do livro, Maven nos conta o porquê dele ser assim, e como as coisas chegaram ao ponto que está. Ele está se perdendo, dentro da própria cabeça. Para Mare, a vontade de matá-lo fica igualada a vontade de salvá-lo, e várias vezes a vemos hesitante com ele. Dá pra entender, ela confiou nele, chegou a pensar que ele a amava. E talvez até ame, mas de um jeito bem pior. O reino também está sofrendo muito. Pois o povo não esperava Maven no trono, e ele não está conseguindo administrar as coisas do jeito que queria. Podemos ver claramente o reino se perdendo. De dentro pra fora, e de fora pra dentro.

 Pelo fato de termos pontos de vista diferentes, começamos a entender melhor a essência de alguns personagens. Evangeline, por exemplo. Posso afirmar que você vai odiá-la menos nesse livro, e no final até se afeiçoar a ela. Mas não me deixei enganar, no fundo, ela é egoísta como eu e você. Embora sua tristeza em não poder ser o que ela é, suas ações decorrem em algo para o bem dela, e não de um todo. Mas não a odeio por isso. Apenas não vou endeusá-la como vi em algumas outras resenhas.
 Após o resgate de Mare que devo dizer, é uma parte maravilhosa do livro, vimos o grande romance tomando forma. Eu confesso que gosto do rumo que o livro está tomando, mas queria muuuuuuito ver como ela e Cal funcionam juntos. E parece funcionar bem. Mas não posso afirmar com toda convicção do mundo que eles ficarão juntos no final do livro. Aveyard consegue fazer com que nada seja premeditado.
 E sobre Mare... Podemos ver a garota elétrica ganhando mais força, e confiança. Mesmo depois de tudo o que aconteceu: Shade, a prisão. Ela conseguiu suportar tudo, e ainda permanecer de pé, e lutar ao lado da Guarda pelo bem do seu povo.

 O final do livro chega com muito impacto, e os fãs certamente ficaram assustados, alguns tristes, outros bravos, outros angustiados. Eu fiquei com um pouco de tudo. Só quero o último livro na minha mesa, pra agora.




Classificação

4 comentários:

  1. Terminei o livro não faz muito tempo e é a última resenha do meu blog, mas não pude deixar de vir aqui saber a sua também. Adoro saber o que as outras pessoas acharam do livro hahaha

    Não achei nenhum ponto em que discorde de você. Na verdade, fico feliz em encontrar mais gente que não fale mal do Cal. As pessoas esquecem que ele passou por muita coisa e precisa de um tempo. Algumas até mudam logo de cara, outros levam tempo. Cal está demorando mais do que eu esperava, mas o jeito dele é compreensível sim!

    P.S.: A diferença do Maven para o Sebastian é que o Maven eu amei desde o início e me irrita muito saber tudo o que aconteceu para que ele ficasse assim. Do Sebastian, eu odiei desde o início, mas consegui entendê-lo melhor durante o tempo. Os dois personagens foram muito injustiçados na vida :(

    Beijos :*
    https://ohamoramia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chega a ser engraçado que na sua resenha eu tenha dito que discordei de coisas que você disse, aí você vem aqui e diz o contrário kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Enfim. Realmente, falta muita empatia nas pessoas quando se trata de Cal. Elas esquecem que o cara foi forçado a matar o próprio pai... Não é uma coisa que a gente supera assim, de um dia pro outro. Ele precisa de tempo.
      Sebastian me deu ódio até seus últimos momentos, mas a Cassandra deu um jeito de me fazer chorar na morte dele porque né, é a Cassandra hahahahaha

      Muito obrigada pela visita! E volte mais vezes <3

      Excluir
  2. Oii Abby tudo bem? Obrigada pela resenha do livro, amo livros e amo quando eles tem esse assunto. Há muito tempo não me interessava por um livro como você fez eu me interessar por esse!

    Beijos, Milla.

    www.dezoitoluas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milla, bem vinda ao blog!! Fico contente por despertar o seu interesse na série. É realmente muito boa!! Confesso que não curto muito o primeiro livro, mas os outros compensam muito a decepção do primeiro, haha.

      Obrigada pela visita, e volte mais vezes!!
      Beijo!

      Excluir

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo