[RESENHA] ACOTAR #1 Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas

FICHA TÉCNICA
Nome: A Court of Throns and Roses (Corte de Espinhos e Rosas)
Autor(a): Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
País: EUA
 Lançamento: 5 de maio de 2015
Gênero: Romance, Fantasia
Páginas: 434
Adicione: Skoob


Compre: Amazon | Saraiva | Livraria Cultura



SINOPSE: "Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.  Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.  Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados." (Skoob)



 Corte de Espinhos e Rosas pode ser interpretado como uma belíssima releitura de A Bela e a Fera, como dito na sinopse. Com uma pegada a lá Game of Thrones, ACOTAR (como também é conhecida a série), ganhou o coração do público jovem com sua escrita fantástica e sua história envolvente.

 O universo onde se passa essa história é divido em duas raças: humana e feérica. Há muito tempo, os humanos eram completamente dominados pelas forças feéricas, mas uma grande guerra, ocorrida há mais de 500 anos, libertou nossa raça deles e desde então vivem separados por uma muralha. Logo no início do livro nos damos de cara com um mapa (imagem abaixo), e com ele podemos ver que a autora se inspirou nas terras da Grã-Bretanha, para o uso de sua história.


 Nossa aventura começa com a jovem adulta Feyre, uma garota de 19 anos que vive na miséria com seu pai semi-moribundo, e duas irmãs intragáveis que nada fazem para ajudar a família necessitada. Feyre é a única que sustenta quatro bocas e um pequeno casebre perto da floresta, e caça os animais para sobreviver.
 Numa caçada, ela se depara com um enorme lobo, e, sem remorço algum, dispara uma flecha em seu olho e o mata. Mas, o que ela não sabia é que esse lobo na verdade era um ser feérico transformado, e que sua morte lhe custaria muito mais do que ela poderia imaginar. Numa noite, um ser monstruoso invadiu a casa da Feyre e reivindicou a vida da mesma, em troca da vida feérica que ela retirou. Sem escolha, Feyre é levada para as terras feéricas e abandona sua família.
 Lá, ela descobre estar vivendo na Corte Primaveril, e que o monstro que lhe raptara, na verdade, era o Grão-Senhor dessas terras, chamado Tamlin, um homem forte e viril, mas que tem o rosto escondido por uma máscara. Feyre chega no reino de Tamlin esperando escravidão, sofrimento, e tudo de pior que possa acontecer, mas ela encontra tudo o que não esperava, e até o começo de um sentimento bonito que floresce entre o feérico e nossa mortal. Mas há uma ameaça nas terras de Tamlin, e que pode chegar as terras mortais, e o que Feyre não sabe, é que caberá a ela destruir o mal que assola os reinos feéricos, e assim salvar Tamlin, seu povo e principalmente, sua vida.


 Foi meu primeiro contato com a escrita de Sarah, e confesso que estou muito, mas muito surpresa. Desde As Peças Infernais (em 2013) eu não sinto essa magia dentro de mim. Há anos uma história literária tenha me pego dessa forma. E pensar que, esnobei essa autora no passado... Me arrependo até hoje.
 A escrita de Sarah é muito fluída, precisa, e até um pouco sensual. Ela coloca as coisas de uma forma única, e você se delicia com cada cena que acontece. Não me senti entendiada em nenhum momento dessa obra, e quando pisquei, já tinha acabado... Já comprei o segundo volume e estou morrendo de ansiedade pra começar. Vocês podem esperar de tudo: amor, ódio, determinação. Essa obra trouxe a tona sentimentos que antes estavam adormecidos em mim. Era livro atrás de livro procurando por um que me fisgasse como a Cassandra Clare me fisgou há 6 anos... Amém Sarah J., que finalmente nos encontramos.
 Uma das coisas que mais gostei na obra, foi que o confronto final não durou meras 4 páginas, 2 capítulos... Não, não... Mais ou menos 20% do livro é destinado somente ao sofrimento da protagonista nas mãos do inimigo, e eu AMEI isso. Faltava essa realidade nos livros atuais. Há anos não encontro um livro de fantasia tão bom assim. Me fez lembrar porque foi um dos meus gêneros favoritos. O romance entre Tamlin e Feyre também é de arrancar suspiros. Ele é construído aos poucos, com muita calma, e quando você percebe, se vê encantada pelo Grão-Feérico e torce muito pra que o romance deles dê certo.
 Em suma, esse livro é recomendado exclusivamente as pessoas que querem SENTIR algo lendo. Mas digo sentir mesmo. Não aquele friozinho na barriga, nada de palpitações. Aqui você vai ficar com taquicardia, com falta de ar (tudo no bom sentido, é claro). E sigo aguardando ANSIOSAMENTE o segundo volume, que disseram as boas línguas ser o melhor da série... Será? Descobriremos logo, logo. Prometo.



"Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada."- Rhysand



Classificação:

Deixe sua opinião

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!